TRANSLATE

SE QUISER RECEBER AS POSTAGENS DESTE BLOG, CLIQUE ABAIXO...

quinta-feira, 7 de maio de 2015

Não desista de ser quem você é, diante das ofensas de quem não consegue ver seu valor.

Você consegue se recordar se já passou pela triste experiência de ser desqualificado, ser ofendido em sua dignidade, ser julgado de forma injusta? Dói, né!? Não é fácil escutar alguém nos definir de uma forma que nada tem haver com o que somos, correto? Não há prazer algum em ouvir alguém desmerecer todo nosso sacrifício, nosso esforço em sermos a cada dia melhores, não é verdade? Quanto mais próximo é o vinculo emocional das pessoas que nos desqualificam, maior é o impacto das palavras em nossa mente e coração.

Algumas pessoas não tem noção do quanto podem ferir as outras com suas palavras, outras não só sabem disso como, na verdade, sentem um certo "prazer maligno" em usar esta habilidade negativa para desestabilizar o emocional de outras.
Há duas verdades sobre isso que, para mim, são inegáveis: Primeiramente - Normalmente, as pessoas que mais ferem com palavras, são as que menos toleram ouvir o que não as satisfaz. Em segundo lugar - Comumente, alguém que fere é alguém que está ferido. Em alguns casos, o ferido assume a identidade do algoz e destila do mesmo veneno que um dia o contaminou.
Um equivoco comum que cometemos é querer provar que o outro está errado a qualquer custo... Fazemos de tudo para "enfiar a verdade goela abaixo" de nossos ofensores...Quando temos a oportunidade, muitas das vezes, entramos no jogo do ofensor e nos igualamos a ele, quando tentamos por meio de debates provar que ele está errado...O outro se arma mais contra nós, e nós também nos "armamos até os dentes." Só que a briga de egos só gera confusão, distanciamento, discórdia, murmuração, tristeza, dificuldade de liberar perdão, não é atoa que a bíblia nos alerta que: "A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira.( Provérbios 15:1). Shakespeare nos leva a reflexão, nesta mesma linha de pensamento, ao dizer: "É mais fácil obter o que se deseja com um sorriso do que à ponta da espada."
 Mas, como conseguir dizer uma resposta branda no meio de uma discussão calorosa?
Isso só é possível quando conseguimos vencer a nossa pressa em responder. Quando encontramos forças para dar alguns minutos para organizar os pensamentos...Quando esperamos alguns minutos para que o outro se acalme para escutar...Nos desarmamos, para que desistamos de nosso ardente desejo de provar o tempo todo que estamos certos. Muitas das vezes, a melhor resposta que encontraremos, após acalmarmos nosso ânimo, será o silencio. Dr. Augusto Cury chama o silencio de "a oração dos sábios." Realmente, somente os sábios conseguem se calar, mesmo quando tem inúmeros argumentos, mesmo quando tem inúmeras razões para falar, mas não o fazem para evitar um mal maior ou porque discernem que este não é o momento ou a forma de mostrarem que estão certos. "O sábio nunca diz tudo o que pensa, mas pensa sempre tudo o que diz." Aristóteles
Bem, acredito que Jesus tenha muito a nos ensinar sobre esse assunto, porque o Mestre do amor sabe muito bem o que é ser julgado de maneira errada, injustiçado, chamado de algo que não era.... Vamos abrir a bíblia um pouquinho? Então, vamos lá! "Mas os fariseus, ouvindo isto, diziam: Este não expulsa os demônios senão por Belzebu, príncipe dos demônios." (Mateus 12:24).
Os fariseus estavam diante do próprio Cristo e não conseguiam vê-lo desta forma, eles o acusaram de expulsar os demônios por Belzebu! Então, queridos, da mesma maneira, se nosso Cristo ouviu tamanha manifestação de ignorância, e desrespeito, então não estamos livres de enfrrentar esta situação desagradável em nosso trabalho, em nossa casa, em nossa igreja, não é verdade? Não somos mais legítimos do que o nosso Senhor, concorda? Pois é, a história não acaba por aí! Por não enxergarem a identidade de Jesus, na sua própria Cidade, Ele não pode operar milagres, e afirmou: "Só em sua própria terra, entre seus parentes e em sua própria casa, é que um profeta não tem honra". E não pôde fazer ali nenhum milagre, exceto impor as mãos sobre alguns doentes e curá-los.(Marcos 6:4,5). Forte este versículo, né!?
Os fariseus armaram ciladas para Jesus, como no caso da Mulher adúltera. Quando Ele disse que era o filho de Deus, eles o acusaram de blasfêmia. Por fim, o prenderam, o crucificaram, e depois tentaram desmentir sua ressureição. Tudo isso está na Bíblia. Mas o mais interessante não é o que falaram de Jesus, o que fizeram contra Ele e, sim, o que Jesus fez diante disso tudo. Jesus, apesar de o acusarem de expulsar demônios por Belzebu, ele não parou de expulsar demônios (quantos de nós  paramos de fazer a obra de Deus, porque não somos reconhecidos?). Apesar de dizerem que Ele blasfemava quando dizia ser o Cristo, Ele continuou dizendo a verdade sobre quem Ele era, não se intimidou diante da incredulidade. Ele continuou curando, continuou restaurando vidas, amando os que menos mereciam, acolhendo os excluídos, dando uma palavra amiga aos desesperançados, servindo aos necessitados, fazendo a vontade do Pai. Jesus continuou fazendo o que fazia, porque nunca se esqueceu de quem Ele era. Ele não se perdeu dentro de si, conhecia sua essência e a preservou até o fim, por isso conseguia ouvir as palavras cruéis e não deixava que isso chegasse a sua alma...Não permitia que as palavras e atitudes dos ofensores tivessem poder de gerar raízes de amarguras, de atrapalhar seu Ministério aqui na Terra.
Assim como Cristo, nós encontraremos pessoas que não merecerão o nosso amor, mas Deus pode nos capacitar para ama-las, pois elas são as que mais precisam. Jesus disse na Cruz: "Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem." (Lucas 23:34)Jesus conseguiu perdoar a todos, porque compreendia que eles eram cegos no entendimento. Um cego é incapaz de apreciar uma obra de Picasso, por mais valioso que seja o quadro, ele não consegue ver a sua beleza...Seguindo o exemplo de Jesus, não podemos esperar mais das pessoas do que elas podem nos oferecer, o que podemos e devemos fazer é orar ao Pai, para que em nome de Jesus, os perdoe e que lhes abra os olhos do entendimento, para que vejam e tenham a capacidade para discernir o que é verdadeiro, honesto e, diante deste descobrimento, aprendam a valorizar o que tem valor. Se não perdoamos, ficamos presos a uma dor que nunca cessa, uma ferida que se abre a cada recordação e que gera outras em nossa alma, nossa oração fica impedida diante de Deus e contaminamos os que estão a nossa volta. E, quando estiverem orando, se tiverem alguma coisa contra alguém, perdoem-no, para que também o Pai celestial perdoe os seus pecados. Mas, se vocês não perdoarem, também o seu Pai que está nos céus não perdoará os seus pecados". (Marcos 11:25-26).
Por mais que haja inúmeras forças tentando nos desiquilibrar, nos abater, nos destruir de dentro para fora...Se soubermos quem somos, se conseguirmos nos ver com os olhos de Deus, então não daremos o poder para alguém nos fazer desistir de ser quem somos e de lutar pelos nossos sonhos.
Não desista, insista mais um pouco, continue amando, continue servindo, continue profetizando o bem sobre a vida de quem lhe julga mal, a seu tempo Deus lhe dará uma bela colheita! Assim como  na vida de Jesus, onde a cruz antecedeu a ressureição, todo o seu sofrimento será apenas uma fase que antecederá a Glória que Deus tem preparado para sua vida...Muitos não creram Nele, mas o sacrifício DELE não foi em vão, a prova disso é nós estamos aqui tendo esperança no amanhã, porque sabemos que Ele vive, apesar de nunca termos o visto fisicamente, cremos que Ele nasceu, morreu e ressuscitou...."Veio para o que era seu, e os seus não o receberam.Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome; (João 1:11,12). Creia que dias melhores virão, e depois de uma horrenda tempestade em que vemos tudo quase desabar, podemos olhar para os céus, ver as nuvens se dissipando e um lindo arco-íris confirmando a aliança de Deus conosco...Nunca se esqueça disso: só podemos contemplar a beleza do arco-íris depois de uma tempestade!
Que Deus nos ajude a suportar as provações, sempre sabendo que somos mais do que vencedores em Cristo Jesus!
"Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de entranhas de misericórdia, de benignidade, humildade, mansidão, longanimidade; Suportando-vos uns aos outros, e perdoando-vos uns aos outros, se alguém tiver queixa contra outro; assim como Cristo vos perdoou, assim fazei vós também. E, sobre tudo isto, revesti-vos de amor, que é o vínculo da perfeição. E a paz de Deus, para a qual também fostes chamados em um corpo, domine em vossos corações; e sede agradecidos." (Colossenses 3:12-15).
autora: DEYSE L.S. PATOLEIA.