TRANSLATE

SE QUISER RECEBER AS POSTAGENS DESTE BLOG, CLIQUE ABAIXO...

domingo, 30 de novembro de 2014

ETERNO CHESPIRITO
Dia 28/11/2014, as nuvens do mundo de milhares de corações, incluindo o meu, ficaram cinzas. É com muita emoção que compartilho o sentimento de luto diante da morte de uma das mentes mais brilhantes da televisão, o grande mestre da Comedia Roberto Bolaños, criador de Chaves e Chapolin, deixou-nos. Roberto tinha carisma, a propria comédia dentro de si e, como atriz e dramaturga, posso afirmar que isso não se aprende em Escolas de Artes Cênicas, isso é um talento que Deus confiou a poucos. Chespirito brilhou no coração de crianças de todas as idades, marcou gerações com sua alegria e simplicidade. Nunca precisou apelar para violência, nudez ou palavras de baixo escalão para nos fazer rir, ensinou ao mundo que um verdadeiro escritor não precisa disso para fazer sucesso. É preciso, apenas, saber respeitar o público, ter criatividade, ter talento, esforço, dedicação e muito amor a sua profissão, ele tinha de tudo isso em sobra. Acredito que nada e ninguém passam pela vida por acaso, temos uma missão, um propósito de existir, assim como o nosso saudoso Roberto Bolaños que a morte não nos permite mais ver, mas que a vida que ele viveu, os programas de entreterimento que ele escreveu e atuou o eterniza em nossas memórias. Nas palavras de Pablo Picasso “A morte não é o fim de tudo e nem a maior perda. A maior perda da vida é o que morre dentro de nos enquanto ainda vivemos.” Louvo à Deus por ter partilhado conosco durante tanto tempo deste ser humano inesquecivel. Não posso negar que permanece a saudade, intensa, do sorriso carismatico, do olhar simples que parecia tocar a nossa alma, da criatividade e o brilhantismo deste artista que fez história na América Latina, conseguindo o status de criador de um dos melhores programas de entreterimento de maior sucesso e reconhecimento. Roberto Bolãnos estará sempre vivo no coração e na memória dos que com ele aprenderam que nunca podemos sufocar e, muito menos, deixar morrer a criança que existe dentro de nós, pois é esta que nos faz compreender alguns dos ensinamentos deixados pelo eterno Chaves, tais como: “ A inveja nunca é plena, mata a alma e envenena”, “se você é jovem ainda, amanhã velho será, a menos que no coração exista a alegria que nunca morrerá”, e, finalmente, o melhor de todos, “ não existe melhor amigo do que Jesus”. É o terno olhar da criança que consegue perceber a beleza dos detalhes que passam despercebidos pelos adultos, que tem ânimo para aproveitar cada hora do dia ao máximo, sem disperdiçar com ressentimentos, intrigas, preocupações... No mundo delas não existe rancor, nem tristeza eterna. autora: Deyse Lourenço da Silva Patoleia