TRANSLATE

SE QUISER RECEBER AS POSTAGENS DESTE BLOG, CLIQUE ABAIXO...

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

NÃO NEGUE SUA DOR, ACEITE SUA HUMANIDADE, ELA O TORNA MAIS PARECIDO COM JESUS!



Já passou por alguns momentos tão difíceis, situações que desafiaram sua fé ao ponto de experimentar a sensação de "abandono", "desproteção"? Sentiu  um aperto no coração desencadeado por uma angustia que lhe fez se sentir tão pequeno e impotente diante dos desafios? O medo de tomarmos uma decisão equivocada, a dúvida se estamos na direção certa parece nos fazer companhia nestes momentos tenebrosos, não é verdade? E devemos sentir vergonha disso? Devemos nos sentir menos cristãos quando temos nossas emoções permeadas e conturbadas com tais sentimos? Na verdade, Jesus nos ensinou, que tudo isso faz parte da nossa humanidade. Mesmo sabendo que nunca estaremos sós, porque Ele nos prometeu em Mateus 28:20 que sempre estaria conosco...Mesmo sabendo que não há lugar que a suas mãos não são capazes de nos proteger...Ainda assim, podemos experimentar do medo, da tristeza, da angustia.
Até mesmo nosso Grande Mestre do Amor, no Jardim do Getsemani, experimentou uma enorme angustia, quando clamou ao Pai : "Se possível, passa de mim este cálice, contudo seja feita a vossa vontade." Percebe o fator que, muitas vezes, diferencia o Getsemani de Jesus do nosso Getsemani? Equivoca-se quem acha que é a ausência de turbulência emocional, como se tal coisa fosse sinal de fraqueza. A grande diferença está na postura, assumida por Jesus, de submissão ao Pai.
Cristo, mesmo sendo parte da Santíssima Trindade,  quando em separado da mesma, experimentando a sua natureza humana, mesmo sendo divino, separava momentos para estar com o Pai, em oração, em clamor, em comunhão, em submissão a sua vontade, pois sabia que O Pai estava no controle, por pior que parecesse o calvário que o esperava. Por isso, vemos no versículo seguinte, que a ajuda dos céus veio enquanto ele orava: " E apareceu um anjo do céu que o fortalecia."  (Lucas 22.43)
Por vezes, não recebemos o fortalecimento dos céus, porque não estamos nos submetendo a vontade de Deus, queremos que tudo aconteça do nosso jeito e no nosso momento; E por qual motivo fazemos isso? Temos medo de ceder o controle, porque a "ilusão do controle" é muito importante para nós, não queremos encarar a realidade de que não temos controle nem sobre o fio de cabelo que cai da nossa cabeça... Jesus conseguiu ceder o controleporque era um com o Pai, Ele o conhecia tão intimamente que compreendia o que a palavra de Deus quer nos dizer em 1 Coríntios 2.9 "nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem chegou ao coração humano, o que Deus preparou para aqueles que o amam."
Nós, muitas vezes, ainda guardamos o conceito limitado que temos da visão de pai, no plano terreno. Contudo, o seu cuidado pelas nossas vidas vai muito além do que tudo que possa caber no imaginário humano. O seu amor transcende tudo que conhecemos e não há base de comparação para que o possamos compreender. Seu amor é tão indecifrável, imensurável, que o próprio Aposto João nos diz que: "Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu filho unigênito para que todo aquele que Nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna" (João 3.16). João não conseguiu verbalizar o amor de Deus, então usou a expressão: "de tal maneira" e, em seguida, ele registra a ação que nenhum pai conseguiria colocar em pratica. A única coisa que conseguimos é nos perguntar: Que amor é esse que entrega seu filho unigênito, perfeito, divino, pela humanidade fragilizada, ingrata, pecadora, perdida?...Nós, quando muito, conseguimos nos doar em favor do nosso próximo altruisticamente, mas doar o nosso único filho, por pessoas que não merecem e muitas nem reconhecerão seu amor ou nem crerão na sua existência? Não, não dá para entender tão grande amor!
E, hoje, eu quero que você se lembre que Jesus teve a opção de desistir. Ele teve a opção de não se transformar em ser humano, mas Ele decidiu aceitar o desafio do Pai, por amor a nós! O mais importante para Jesus e o Pai não era o sofrimento temporário, mas a alegria de nos ter na glória com Ele. Só para termos ideia do sofrimento emocional que Jesus experimento no Getsemani, em Lucas 22:44, está registrado: "E, posto em agonia, orava mais intensamente. E o seu suor tornou-se como grandes gotas de sangue, que corriam até ao chão. "
Quanto mais Ele se angustiava, mais se aproximava do Pai, em oração, mesmo assim, Jesus experimentou um fenômeno raríssimo: Hematidrose. O que é isso? Vou colocar a definição extraída do Wikipédia: [O "suar sangue”, é chamado de “Hematidrose“. Essa reação é produzida diante de condições excepcionais: para provocá-lo é necessário uma fraqueza física, acompanhada de um abatimento moral violento causado por uma profunda emoção, por um grande medo . A tensão extrema, com contrações musculares localizadas, produzem um rompimento das finíssimas veias capilares que estão sob as glândulas sudoríparas; o sangue se mistura ao suor e se concentra sobre a pele, e então escorre por todo o corpo.]
Não há como negar que o que Jesus experimentou no Jardim de Getsemani, onde podemos chamar de "o jardim da decisão", foi um coquetel de emoções fortíssimas, banhadas de muita dor na alma e física. Foi ali que Ele decidiu seguir o plano inicial e seguir até ao calvário. Somente depois que Ele se permitiu sentir a DOR do Getsemani, intensificando sua oração, recebendo o fortalecimento dos céus, que conseguiu seguir para o Calvário como um cordeiro mudo...Você consegue perceber a profundidade disso? Todos nós passamos ou passaremos pelo nosso "Getsemani", o lugar ou momento em que somos mergulhados na angustia, no sofrimento, na dor, e precisamos decidir seguir em direção ao nosso calvário.
O grande conflito que acontece, muitas vezes, é que alguns querem ser "mais santos" do que o próprio Jesus; Tais pessoas negam suas dores, tem a "síndrome do superman ou mulher maravilha", querem manter a "felicidade fotografada do facebook", mas a vida real é incompatível com tais fantasias, resultando em frustração! Todos nós experimentamos momentos em que queremos que o cálice seja passado de nós! Momentos em que temos medo! Alguns de nós já passaram por momentos em que quase suaram sangue também...Aceitar nossa humanidade é um grande passo em rumo a maturidade espiritual, Como diz meu pastor: "quanto mais parecido com Cristo, mais humano vamos nos tornando" Jesus era Deus e se transformou em servo, nós queremos o caminho inverso, ao invés de servos sociais queremos ser "deuses" perfeitos e intocáveis.
Uma das grandes lições aprendidas com o sofrimento de Jesus é entender que o fato dele ter sido traído, ter sentido turbulentas emoções, ter sido humilhado, não o fez menos divino, pelo contrário, é a postura, a decisão frente às dificuldades, a submissão à vontade do Pai, que faz toda a diferença! É a atitude de preservar-se, sendo quem nasceu para ser, cumprindo o proposito da existência, que  é crucial para vitória. Quando tomamos a decisão de proteger nossa essência, não estamos imunes a sentir as mais terríveis emoções, mas conseguimos não deixar que elas nos dominem ao ponto de conduzir nossas escolhas. Como diz Jean Paul Sartre: "não importa o que fizeram com você, mas sim o que você faz com o que fizeram com você."
Quando você toma uma decisão em sua vida, automaticamente, ao escolher um caminho, renuncia outro. Algumas decisões são muito difíceis de tomar, porque nenhuma renuncia é fácil, porque implica em dor, dúvida, medo, pois não temos uma "bola de cristal" que nos garanta a certeza de uma vitória futura. Todavia, se fazemos as nossas escolhas em constante oração, sabemos que Deus enviará o fortalecimento, Ele nos dará a sua direção, assim como aconteceu com Jesus, para que tenhamos a força necessária para prosseguir.
Mas o que, hoje, sinto como convite de Deus é: Não negue sua dor, aceite sua humanidade! Não brigue tanto com você, seja mais tolerante consigo mesmo! Se ame um pouco mais! Permita-se sentir essa dor, deixe rolar essas lagrimas que estão retidas dentro do seu peito para que você possa experimentar o consolo dos Céus! Deixe cair essa máscara de orgulho, essa fantasia de "mulher maravilha ou superman", essa mentira que você repete tantas vezes que acabou achando ser verdade, e se prostre diante de Deus com toda a sua sinceridade, pequenez, porque Ele não resiste um coração quebrantado. "Os sacrifícios para Deus são o espírito quebrantado; a um coração quebrantado e contrito não desprezarás, ó Deus." (Salmos 51:17)
Só Deus e você sabem o quanto dói alguns Getsemani e Calvários que você passou ou tem passado. Ele conhece a dor da perda de um ente querido, de um emprego, de um casamento, de uma amizade...Por mais que outros seres humanos não tenham a maturidade, a empatia, para entender a sua dor e colocar-se no seu lugar, saiba que Ele mais do ninguém entende o que você sente. Como diz o pastor Neil Barreto: "Deus não entra em crise com suas crises". Pelo contrário, Ele lhe ama antes, no meio e após todas as crises que você já experimentou na vida!
Tanto a morte, a perda de algo ou alguém, ou mesmo a renúncia (que nada mais é do que uma perda voluntária) nos remetem a um estado de Luto. A psiquiatra Elisabeth Kubler-Ross elaborou as cinco fases do luto, por meio do estudo de pacientes em estado terminal. Contudo, ela explica que o luto é um processo necessário para preencher o vazio deixado por qualquer perda significativa, não apenas a perda da expectativa de vida, ou a perda de alguém, mas também a perda de alguma coisa que possuía grande valor para nós. Ela definiu as cinco fases do luto em: Negação - raiva - barganha - aceitação. Não necessariamente o luto seguirá essa sequencia ou passará pelas cinco fases, mas geralmente passará por pelo menos duas das fases citadas. Não vou entrar em detalhes sobre as fases, porque este não é o nosso objetivo, neste momento.
O que acontece muito, principalmente no meio cristão, é que paramos na primeira fase do luto: a negação. Não queremos falar da nossa dor, perda, e nos negamos a lidar com a realidade. Tudo isso acompanhado da erronia concepção de que isso é espiritualidade...Será mesmo!? O que pode acontecer se você tiver uma ferida e negar a sua existência? A dor passa se você mentalizar e repetir: "não está doendo!" O que poderá acontecer se você feriu uma parte do seu corpo e não cuidar dessa ferida? Poderá infeccionar, correto? Dependendo da gravidade da ferida, por não cuidar dela, você poderá até ter que amputar um membro, certo? A mesma coisa acontece com o nosso emocional, precisamos lidar com as perdas, com a dor, com o nosso calvário, de forma madura, sem se abandonar, permitindo-se passar pelo "luto" para que possamos alcançar a plenitude do consolo, da aceitação, da superação...
Se Jesus não tivesse passado pelas fases do seu luto, em que estava renunciando a própria vida em nosso favor, talvez não saísse completo do Jardim, resignado frente a via dolorosa que percorreria. Jesus conseguiu passar pelo teste final da traição de Judas e ainda chama-lo de amigo, lidar com a negação e abandono dos seus discípulos, sem contaminar seu coração. Ele estava tão resoluto do seu proposito que mesmo vendo uma legião de anjos ao seu comando quando os guardas vieram lhe prender, aceitou ser preso e crucificado, mesmo sendo inocente, por amor aos seres infiéis e ingratos que somos. Isso nos faz refletir que alguns espinhos são necessários no caminho, pois nos tornarão mais fortes. Algumas perdas serão inevitáveis e vitais ao nosso crescimento e amadurecimento. Algumas renuncias terão que ser feitas para que consigamos lograr maior êxito. Mas diante das agruras das perdas não podemos negligenciar nossa humanidade, nossa necessidade de enlutar-se, porque negar a dor é impossibilitar a chegada da cura.
Saiba que se alguma pessoa não consegue ter respeito diante do seu luto, não é porque é mais espiritual do que você o é, pelo contrario, isso é um forte indicativo de que ela é menos humana do que você! E quanto mais humanos somos, mais parecidos com Jesus nos tornamos. Como diz na Igreja que congrego: "Jesus não veio em forma de anjo, mas em forma de gente para nos ensinar como gente deve ser."
Viva cada fase do seu luto, mas cuide-se para que, com a força de Deus, você consiga chegar até a aceitação, de modo que o luto não se torne eterno e a dor não se transforme em crônica. Claro que as cicatrizes de algumas perdas lhe acompanharão a vida toda, você nunca mais será o mesmo, mas você poderá olhar para cada cicatriz e ver o amor de Jesus escrito em cada uma delas. Cada cicatriz mostra que você superou algo, foi mais forte do que a provação que lhe acometeu; Cicatrizes são sinais de cura, consolo, gratidão, esperança. Assim, como Jesus nos ensinou no Jardim do Getsemani, somente em Deus conseguimos as forças necessárias para prosseguir; somente Dele vem o consolo para fortalece-lo da maneira que você precisa. Se, assim como Jesus, você conseguir passar pelo seu jardim, chegar até ao calvário confiando na vontade do Pai, então o que lhe aguarda também será semelhante ao que O aguardou. A cruz de Jesus antecedeu a vitória sobre o poderio da morte. Ele tomou as chaves do inferno, Ele ressuscitou ao terceiro dia, O seu nome é sobre todo nome, A Ele foi dado o poder sobre todas as coisas! Da mesma forma, o seu calvário é doloroso, mas é a fase anterior a ressureição dos sonhos mais lindos de Deus para sua vida! Ele lhe dará uma grande vitória e você entenderá, com seu coração, que nada e ninguém poderá lhe separar do amor de Deus, pois Ele lhe sustenta e fortalece em qualquer situação presente ou vindoura! "Se tomar as asas da alva, se habitar nas extremidades do mar,  até ali a tua mão me guiará e a tua destra me susterá" (Salmos 139:9)
"Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada? Como está escrito:Por amor de ti somos entregues à morte todo o dia;Somos reputados como ovelhas para o matadouro. Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou. Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir,
Nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor."
Romanos 8:35-39
Que Deus abençoe vocês, em Cristo Jesus, nosso Senhor, Salvador, e Mestre!
autora: Deyse LSP