TRANSLATE

SE QUISER RECEBER AS POSTAGENS DESTE BLOG, CLIQUE ABAIXO...

sábado, 6 de maio de 2017

Abandone a visão vitimizada da vida, construa a sua felicidade

        

Você conhece o testemunho de pessoas que tinham "tudo para dar errado", mas, surpreendendo todas as expectativas, elas escreveram uma história de sucesso? Já ouvi e li inúmeras histórias de pessoas que são um milagre ambulante! Conheço histórias de pessoas que nasceram em um lar pobre, trabalharam desde crianças como faxineiros, vendedores de picolé, ajudante de pedreiro..Mas acreditaram nos seus sonhos, lutaram por eles, e conseguiram ser aprovados em difíceis concursos, tais  como: vestibular para medicina, fiscais, juízes, procuradores, delegados de polícia.
 Já ouvi testemunhos marcantes como o da cantora Rose Nascimento que veio de raízes familiares bem humildes, e do Pastor Claudio Duarte que hoje ministra sobre casamentos, mesmo tendo tido o exemplo de um pai que se divorciou oito vezes...O que fez essas pessoas conseguirem ter tanta resiliência? O que as fez acreditar que poderiam ser muito mais do que um fruto do meio social que se encontravam? O que as fez olhar para suas vidas e determinarem que queriam ir além do que a mente dos que os cercavam podia imaginar?
Inclusive, comprei um livro chamado: De faxineiro à Procurador da República, que conta a inspiradora história de superação do Sr. Manoel Pestana. Semelhante a dele, temos outras personalidades públicas como o antigo Presidente do STF, Ex- Ministro Joaquim Barbosa, e muitos outros que nos comovem e nos levam a reflexão. Contudo, já ouvi muitas histórias de pessoas que nasceram em um "berço de ouro", tinham pais que lhes incentivavam e lhes davam os melhores recursos para estudarem, e eles se transformaram em: usuários de drogas, traficantes, alcoólatras, assassinos, políticos corruptos...Qual será o fator determinante que faz algumas pessoas serem bem sucedidas, mesmo tendo que lutar contra tantas dificuldades e outras terem "tudo para dar certo", mas destruírem tudo o que possuem? Será que existe um segredo para se construir uma vida bem sucedida?

Observei que nos relatos das pessoas que, contrariando as "estatísticas", foram bem sucedidas, a maioria delas acreditavam na ajuda de Deus. Contudo, não era apenas fé na ajuda de um Ser Superior que os levava a superar suas dificuldades, até porque alguns não eram cristãos. Percebi que apesar das condições inóspitas que eles viviam, eles não tinham pena de si mesmos, não murmuravam pelo que lhes faltava, ao contrário, tinham uma visão agradecida por cada pequena provisão e muita esperança de ser alguém na vida...Eles não cultivavam o pensamento de que eram vítimas da sociedade, da opressão de um governo injusto, de uma família miserável, de uma crise financeira. Eles conseguiam ter a capacidade de transcendência, mesmo diante de todo o caos que suas vidas estavam mergulhadas. Não perdiam tempo murmurando, o investiam de forma sábia no futuro que almejavam e faziam o melhor em todas as oportunidades que a vida lhes oferecia.
Isso me faz meditar o quanto que nossa felicidade depende de nós...Ela é um caminho que construímos com nossas escolhas. Somos o resultado delas. Por maiores e mais difíceis que sejam as encruzilhadas da vida, sempre teremos o direito a uma escolha. Sempre nos encontraremos nos "jardins do Getsemani da vida" e teremos uma decisão a tomar: ir para cruz e mortificar nossa carne ou viver de acordo com nossos princípios e valores; crescermos e sermos felizes ou continuarmos a ser crianças emocionais e responsabilizar a outros por nossos fracassos; nos portarmos como vítimas ou agentes transformadores de nossa realidade...Há sempre uma escolha embutida em cada situação que vivemos, um convite guardado ao aprendizado, cabe a nós o direito de aceitá-lo ou recusá-lo.
Alguns anos atrás, li uma matéria sobre o Arnold Schwarzenegger, ele foi eleito pela TIME como uma das 100 pessoas que ajudaram a moldar o mundo de hoje. Sua vida é uma história fascinante de muito esforço e determinação. Ele era um menino magricelo da pequena vila de Thal, na Áustria, que apanhava do pai policial e sonhava em ir para a América ser um astro. Não tinha a performance de um fisiculturista, não sabia falar inglês, não tinham pessoas que diziam que seu sonho era possível...Pelo contrário, todos os fatores eram contrários aos seus objetivos...Mas ele tinha auto motivação, uma visão de si mesmo que ultrapassava os limites que outras pessoas tentavam atribuir às suas habilidades. Por ter uma fé e esperança em si mesmo e querer muito encontrar fora de casa o que não tinha dentro dela, ele se mudou para os EUA. Começou sua carreira como fisiculturista e com muito treino, trabalho árduo, muita persistência, tornou-se o maior recordista nessa modalidade. O resto dessa história vocês já sabem, pois ele virou um ícone do Cinema, interpretando diversos personagens marcantes, além de em 2003 ter ganho as eleições para Governador do Estado da Califórnia.

Você já pensou se o Arnold Schwarzenegger tivesse acreditado na visão apequenada, nos comentários céticos dos que não acreditavam em seu potencial? Teria permanecido no anonimato, morando até o fim dos seus dias na pequena Vila onde nasceu. Ele é um exemplo de superação, independente da fé que professe. O que acontece muito é que alguns cristãos tem fé em Deus, mas não tem fé em si mesmos. Ora, se Deus diz que não existem lutas maiores do que as nossas forças, isso significa que Ele já nos fortaleceu e capacitou para passar por qualquer coisa que venha ao nosso encontro. Muitos de nós, cristãos, estão diante de dificuldades e atribuem a culpa ao maligno e não enfrentam a situação, mas tão importante quanto orar é agir. Muitos abrigam pensamentos negativos em suas mentes e isso mina a fé, a paz, e a esperança da vitória.
Os pensamentos, que alimentamos em nossa mente, conduzem a nossa visão da vida e qual papel ocuparemos nela. "Porque, como imaginou no seu coração, assim é ele. ("Provérbios 23:7). Quando vamos amadurecendo, emocionalmente, deixamos para trás conceitos equivocados, pensamentos depreciativos, que nos apequenam no cenário da humanidade, e atribuem a outros ou a condições externas a responsabilidade de nossa felicidade. "Quando eu era criança, pensava como menino, sentia e falava como menino. Quando cheguei à idade adulta deixei para trás as atitudes próprias das crianças. " (I coríntios 13:11)

É, realmente, interessante o versículo acima. Se pararmos para refletir: uma criança pequena depende totalmente de seus pais, não tem condições de discernir o que é bom para si mesmas. Elas precisam de quem as alimente, as instrua, as façam felizes, digam para elas o que é certo ou errado. Acreditam em tudo o que os adultos dizem a respeito delas e reagem de acordo com sua imaturidade emocional, fazendo "birras", ficando "de mal"...Normalmente, não gostam de ser contrariadas. Só pensam em se divertir, brincar...

Quando se é criança, esse comportamento é normal, mas o grande problema é quando alguns adultos permanecem agindo como se ainda o fossem. Dependem que outras pessoas os elogiem, para se sentirem belos. Dependem que todos digam o que eles querem ouvir, do contrário: Farão "birras", ficarão dias em "greve de silêncio", não se sentirão amados....Levam tudo para o lado pessoal! Ou seja, possuem uma intolerância à frustração digna de uma criança.

Conservam a visão infantil de que a felicidade deles depende de que tudo à sua volta esteja em plena harmonia. Precisam que todos os apoiem para terem forças de lutar pelos sonhos deles, pois não conseguem se ver capazes, sem que alguém os diga que o são. Esperam que o mundo seja um parque de diversão, mas a única "roda gigante" que encontram são de suas próprias emoções. Não percebem que a vida é uma missão e todos nós temos um propósito para nossa existência, que vai além de nós mesmos.

A visão apequenada de si mesmo gera uma grande instabilidade emocional, uma vez que as turbulências fazem parte da realidade de todos, nunca viveremos "um mar de rosas". Precisamos aprender a lidar com elas, aprendermos com as adversidades, senão teremos nossas forças sucumbidas pela dor. "Vida é 10% o que acontece a você e 90% como você reage a isso." (Charles R. Swindoll)

Todo crescimento, tanto físico quanto emocional, implica em dores, mudanças, assunção de responsabilidades, por isso não é divertido crescer...É muito mais fácil permanecer pensando, sentindo, falando como se crianças fôssemos; Atribuindo a outros a responsabilidade de nos fazer felizes.

O livre arbítrio foi uma das mais lindas prova de amor de Deus por nós. Ele poderia ter selado o destino de cada um de nós, mas Ele decidiu nos dar o direito de sermos escritores de nossa própria história. O problema é que, alguns de nós, sedem essa incrível responsabilidade para outros. Dão a outras pessoas a possibilidade de determinar se terão um dia feliz ou triste, são conduzidos pelo que acontece à sua volta, ao invés de serem construtores de sua própria realidade.

" A felicidade não depende de nenhuma condição externa, ela é governada por nossa atitude mental" (Freud)

" A felicidade não é algo pronto. Ela é feita das suas próprias ações." (Dalai Lama)

Quem tem uma visão vitimizada da vida, para tudo arruma uma desculpa, para tudo busca um culpado. Atribuem a origem do caos que lhes sobreveio sempre a um fator externo, fora dos limites de suas escolhas...Conhece alguém assim?

A caçada por culpados parece ser insaciável, a "back list" se mostra interminável: Culpam os pais por não lhes ter dado o ambiente familiar necessário ao desenvolvimento socioafetivo; Culpam a falta de condições financeiras por não terem sido bem sucedidos; Culpam a igreja por não lhes ter apoiado; Culpam o marido/a esposa pelo casamento infeliz; Culpam a crise econômica por estarem sem dinheiro; Culpam o diabo por suas quedas, quando ele não tem o poder de fazer alguém cair." Mas cada um é tentado, quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência." (Tiago 1:14); Culpam a inveja do vizinho por seu sonho não realizado, como se inveja, "olho gordo" tivessem esse poder;"Como ao pássaro o vaguear, como à andorinha o voar, assim a maldição sem causa não virá." (Provérbios 26:2); Até mesmo Deus entra na lista negra de culpados, como se Ele tivesse a obrigação de fazer tudo conforme a vontade de tais pessoas, a relação de servo e Senhor é invertida.

Há alguns anos, enfrentei o desafio, dado por Deus, de aconselhar uma jovem, que me procurou, vítima de abusos sexuais cometidos pelo pai dela, desde sua infância. Aquela jovem teve sua vida marcada por uma das piores tragédias que alguém poderia sofrer...Ela não sabia o que era ter um pai, pois o homem que era seu genitor nunca a havia respeitado como filha. Aquela jovem guardava a amargura de ter sido criada, posteriormente, por um parente, além de sua mãe ter permanecido com seu pai, mesmo sabendo de todo o terror que ele a proporcionou. Ainda assim, contrariando todas as probabilidades, essa jovem sonhou com um futuro, ingressou na carreira pública, estudou muito, passou em vestibulares difíceis e, posteriormente, após aceitar Jesus...Ela conseguiu fazer algo  extremamente difícil. Ela olhou nos olhos de seu pai e de sua mãe, e os perdoou. Entendeu, com o coração, que ninguém dá o que não tem. Seu pai também havia sido vítima de abusos e reproduziu a conduta de seu antigo algoz, tornando-se semelhante a ele, mas aquela jovem deu fim àquele ciclo de destruição em sua família. Ela negou-se a viver com esse peso, deixou-o aos pés da cruz. Ela decidiu viver em novidade de vida e ser alguém bem sucedida, mesmo tendo tido sua infância arrancada de si. Ela não podia mudar o que havia acontecido no passado, mas ousou sonhar com o seu futuro, assumiu seu papel de escritora de sua própria história e escreveu, com a ajuda de Deus, uma história de sucesso!
Por pior que seja o mal que alguém tenha nos infringido, o que determina a nossa felicidade é a decisão que tomamos frente a esse mal. Se escolhemos agir com os demais da mesma forma má que agiram conosco, então fomos vencidos pelo mal. Se ao contrário, perdoamos, e decidimos nos manter no caminho do amor, então extraímos um aprendizado, nos tornamos mais maduros, mais fortes, mais concisos da nossa fé."Não importa o que fizeram com você. O que importa é o que você faz com aquilo que fizeram com você." (Jean Paul Sartre) "Não te deixes vencer do mal, mas vence o mal com o bem. " (Romanos 12:21)

Normalmente, quando nos consideramos os mais "sofredoras do mundo", o fazemos porque não conseguimos olhar, em volta, e ter respeito pela dor do outro, então a única coisa que enxergamos são nossas próprias dores, nada mais! Quem se vê assim, acha que os problemas dos outros são sempre mais leves, suas vitórias foram conquistadas com preços menores do que as deles...Para tais: "a grama do vizinho sempre é mais verde". Eles tem inveja do perfume das flores do jardim ao lado, mas não querem pagar o preço de "arregaçar as mangas", preparar a terra, adubar, plantar, lidar com os espinhos...Não, na verdade, os que tiveram o esforço de plantar deveriam lhes "ajudar", dando-lhes o prazer de colher o que não semearam. Só que Deus é bom para deixarmos plantar o que quisermos, mas é justo para permitir que colhamos só o que plantamos. Então, se as sementes não foram lançadas, ou se eram más, é insanidade esperar uma boa colheita. "Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará." Gálatas 6:7

Dos vitimizados, a felicidade foge, porque sempre a transferem para um "amanhã", a atrelam a um a um acontecimento futuro; O aprendizado nunca chega, porque raramente acham que alguém seja merecedor de lhes ensinar alguma coisa, não vislumbram o convite ao aprendizado embutido em cada situação adversa, não vêem os problemas como uma oportunidade de crescer..."O saber a gente aprende com os mestres e os livros. A sabedoria se aprende é com a vida e com os humildes." (Cora Coralina); A gratidão não lhes habita, porque, normalmente, pensam que os que são mais bem sucedidos, quando lhes "ajudam", não fazem mais do que a obrigação deles, afinal são mais "sortudos".

Quem se porta como vítima, na vida, está sempre murmurando, sempre reclamando por algo que lhes falta, sempre se comparando com os demais, e se achando os menos afortunados, como se fossem vítimas do "destino". "Estes são murmuradores, queixosos, andando segundo as suas concupiscências; e a sua boca diz coisas muito arrogantes, adulando pessoas por causa do interesse." (Judas 1:16).

Tais pessoas raramente valorizam o que possuem, normalmente, não percebem o milagre da vida que desabrocha como uma rosa a cada manhã...Deixam passar desapercebido pequenos milagres que confirmam o amor de Deus por eles, não percebem os incansáveis livramentos do Mestre do amor. Sempre acham que a graça derramada sobre a vida do irmão(a) do lado foi maior do que a chegada em sua casa...Seus corações estão tão possuídos pela inveja, pelos julgamentos, que já não há mais espaço para o amor..."O sentimento sadio é vida para o corpo, mas a inveja é podridão para os ossos." (Provérbios 14:30). Por isso, suas trajetórias se tornam mais longas, pois caminham sozinhos. "Um coração feliz é o resultado inevitável de um coração ardente de amor. (Madre Teresa de Calcutá)

A amizade, para quem tem o olhar vitimizado, é algo difícil de se desenvolver, porque cobram muito do outro e não estão muito dispostos a oferecer de si mesmos. Estão sempre esperando que outros façam por eles, o que nem eles são capazes de fazer por si mesmo. Os amigos passam a ser sugados emocionalmente, não valorizados, procurados apenas quando se tem um problema novo para partilhar. Não há problema em dividir a dor com o outro, o grande "x" da questão é quando o outro só é procurado para isso. A amizade verdadeira nos conduz ao aprendizado com o outro, ao crescimento mútuo, ao dividir mútuo de cargas, ao partilhar de alegrias.

"Como o ferro com ferro se aguça, assim o homem afia o rosto do seu amigo."(Provérbios 27:17 )

"Porque se um cair, o outro levanta o seu companheiro; mas ai do que estiver só; pois, caindo, não haverá outro que o levante." (Eclesiastes 4.10)

"A amizade desenvolve a felicidade e reduz o sofrimento, duplicando a nossa alegria e dividindo a nossa dor." (Joseph Addison)

Os vitimizados não conseguem se alegrar com a alegria do outro, sentir prazer com o sucesso alheio, celebrar a realização dos sonhos dos que os cercam, pois ainda não entenderam que quando nos dispomos a celebrar a vitória do outro, a nossa se aproxima. "Alegrai-vos com os que se alegram; e chorai com os que choram;" Romanos 12:15. Na verdade, fazem o caminho inverso do que esse versículo ordena, eles se alegram com a derrota e se entristecem com a vitória que não seja a sua.

"Saber encontrar a alegria na alegria dos outros, é o segredo da felicidade." (Georges Bernanos)

Quem se vê como vítima alimenta a ilusão de que algo ou alguém possa lhes dar a felicidade que tanto almejam, como se isso fosse possível. Esperam casar, passar no concurso, comprar uma casa, ficarem ricos, serem promovidos, serem curados, para, então...Serem felizes! Só que felicidade verdadeira não depende de pessoas ou de circunstâncias, não é algo que se compra, que se adquire com status, com diplomas, com vagas de emprego...
"Viver é acalentar sonhos e esperanças. Fazendo da fé a nossa inspiração maior, é buscar nas pequenas coisas um grande motivo para ser feliz. (Mário Quintana)

"Não existe um caminho para a felicidade. A felicidade é o caminho." (Thich Nhat Hanh )

"O que vale na vida não é o ponto de partida e sim a caminhada. Caminhando e semeando, no fim terás o que colher." (Cora Coralina)

A nossa felicidade depende de nosso posicionamento, das "respostas" que damos frente as "provas" que a vida nos oferece; Nem Deus pode transformar a realidade de alguém que não permite ser mudado, porque Ele respeita o livre arbítrio a nós confiado. Temos a escolha de escrevermos nossas histórias sozinhos ou de pedir que Sua sabedoria guie nossas mãos. "Bem-aventurado aquele que teme ao SENHOR e anda nos seus caminhos. Pois comerás do trabalho das tuas mãos; feliz serás, e te irá bem. (Salmos 128:1,2) "A felicidade não se resume na ausência de problemas, mas na sua capacidade de lidar com eles." (Albert Einstein)

Hoje, o convite de Deus para você é para que tenha a humildade de perguntar para Ele se, em alguma área da sua vida, você tem abrigado uma visão vitimizada, pois isso lhe impede de crescer.  Não é tarde para se posicionar como construtor de sua própria felicidade, não a deixe nas mãos de outras pessoas. Deseje sua mudança interior, invista em sua melhoria enquanto ser humano. A maturidade acontece, quando assumimos a responsabilidade pelas escolhas, certas ou erradas, que fazemos ao longo da vida. A sabedoria está em se portar como um eterno aprendiz, que olha para cada situação adversa, para cada obstáculo, como uma oportunidade de extrair um novo aprendizado.

Quando mudamos o nosso modo de ver a vida, a nossa vida muda! "Mude o modo com que você olha as coisas, e as coisas que você olha mudarão." (Dr. Wayne Dyer) Tenha mais gratidão pelo que você tem, por quem Deus permitiu você ser, pelas pessoas que ele colocou em sua vida, e você verá que quanto mais se agradece, mais lhe é acrescentado!"E o seu senhor lhe disse: Bem está, servo bom e fiel. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor." Mateus 25:21

Deus os abençoe, abundantemente , em Cristo Jesus!
Autora: Deyse LSP (Esse é o 33º capítulo do meu livro "convites de Deus para você')

"