TRANSLATE

SE QUISER RECEBER AS POSTAGENS DESTE BLOG, CLIQUE ABAIXO...

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

SEJA HUMILDE - Esse é o caminho para grandeza interior

Por vezes, estamos orando, clamando a Deus por nossas vitórias, mas parece que Ele está em silêncio, não é verdade? Isso pode se dar por diversas razões, mas uma delas pode ser que: estejamos quebrando princípios que são basilares para que tenhamos as nossas orações ouvidas. A humildade é um desses princípios. A bíblia nos diz que Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes.
"Antes, ele dá maior graça. Portanto diz: Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes. (Tiago 4:6)
Acho a frase da imagem acima "humildade é uma pessoa grande que trata todas as outras como se fossem maiores" resume bem o que penso de humildade. Quando a possuímos, conseguimos ter a grandeza interior de não olhar para as outras pessoas como se fossem inferiores, porque não pensam como nós, porque não possuem o mesmo estilo, gostos, costumes, cultura, aparência, crenças, nível escolar, condição econômica...É cultivar a tolerância diante das diferenças e aprender com elas.
Penso que humildade também é ter consciência de nossos potenciais, sem nos esquecer de nossas limitações. Muitos de nós querem viver uma vida cristã como se fossem "mulheres maravilhas e superman", e estão adoecendo física e emocionalmente, porque não querem respeitar seus limites, querem mudar as outras pessoas na força, quando nem Deus faz isso, Ele respeita o livre arbítrio...Ser humilde também é se respeitar, fazer a nossa parte e deixar que Deus faça a Dele, no tempo e da forma que Ele entender ser melhor.
Ser humilde implica em tentar ter um olhar dotado de empatia para com os demais, procurando se colocar no lugar do outro, para que tentemos entender as suas dores, se dispondo a ajudar, por vezes, com uma palavra ou com nosso silêncio respeitoso, ouvindo sem exigências ou críticas que tolhem no outro a vontade de se abrir.
Para nos aprofundarmos melhor no conceito de humildade, sabendo de sua importância, gostaria de lhe convidar a meditarmos juntos no que a bíblia nos ensina em Filipenses 2, versículos de 3 ao 11. Aceita esse convite? Então, vamos lá!


Nessa referida passagem bíblica, somos convocados a adotar a humildade como estilo de vida, somos advertidos a fazer a coisa certa pela motivação certa. Somos admoestados a não praticar o bem  com a motivação de atrairmos vangloria (dependência por reconhecimentos humanos, "aplausos'´), contenda (provar para quem não acredita em nós que somos capazes), rivalidade (competir com os outros, para provar que somos melhores do que eles).
"Nada façais por contenda ou por vanglória, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si mesmo.
Não atente cada um para o que é propriamente seu, mas cada qual também para o que é dos outros.De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz.
Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome; Para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra, E toda a língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para glória de Deus Pai." (Filipenses 2:3-11)

Acredito que quando o evangelho nos convida a considerar os outros como superiores é ter a nobreza de coração de entender que sempre temos algo a aprender com os demais, como diz Blaise Pascal: "Ninguém é tão ignorante que não tenha algo a ensinar. Ninguém é tão sábio que não tenha algo a aprender." Na vida, muitas vezes, a ajuda que precisamos vem das pessoas mais improváveis, porque Deus usa quem Ele quer e precisamos ter humildade para entender isso.
Somos confrontados pela palavra a não competirmos com os outros, mas a tentar superar, apenas, aquela pessoa que vemos, quando nos olhamos no espelho, procurando ser melhores a cada dia.
Somos chamados a seguir o exemplo de Cristo, que sendo Deus, se fez como servo. Não fomos escolhidos por Deus para ocupar "pedestais de superioridade", para nos portarmos como "divindades" que não devem ser questionadas, pessoas que abrigam a ilusão de que ninguém tenha nada a lhes acrescentar...O caminho ensinado por Cristo é o contrário: Por maior que sejamos, devemos estar abertos para aprender com o outro e ensinar o que temos aprendido.
O evangelho nos convida a não viver só para nós mesmos, mas a nos portar como servos sociais que entendem que cada dom, cada talento, cada bem, cada riqueza interior, nos foi confiada por Deus com o propósito de, também, ser partilhada com o outro.
Somos chamados a servir a Deus e ao próximo com a mesma humildade com que Cristo fez, esvaziando-se...É necessário esvaziar-se, porque quem está cheio de si mesmo, não consegue deixar que outros lhe acrescentem saber.
Contudo, antes de nos aprofundarmos mais na humildade, gostaria que refletíssemos juntos e entendêssemos um pouco de sua pior inimiga - a soberba. A soberba é um pecado que nos cega, e faz com que Deus não atenda às nossas orações e nos prive de sua graça. Penso que isso acontece, porque a graça é o favor imerecido do Pai, se somos soberbos para achar que merecemos, que Deus nos deve algo, então Ele precisa se silenciar, resistir às nossas orações, para que entendamos o sentido da graça. Ele deseja que entendamos que tudo que há de bom em nós e tudo o que possuímos não é para que nos exaltemos e nos consideremos a "última bolacha do pacote" (risos). Pelo contrário, o que somos e temos vem Dele e para Ele são todas as coisas.
 "Porque dele e por Ele, e para Ele, são todas as coisas; glória, pois, a Ele eternamente. Amém." (Romanos 12:36)
"A soberba precede a ruína, e a altivez do espírito precede a queda." (Provérbios 16:18)
"Em vindo a soberba, virá também a afronta; mas com os humildes está a sabedoria." (Provérbios 11:2)
A soberba foi o pecado original, cometida por Lúcifer. Ele apesar de ter sido feito tão belo, tão talentoso, não quis cumprir o propósito para o qual foi criado, considerou que ser um arcanjo era pouco e quis ser como Deus. Ele não queria servir, queria ser adorado. Se pensarmos um pouco, infelizmente, não temos visto isso acontecendo nos dias atuais? Pessoas brigando por títulos, por cargos maiores nas igrejas, precisam ser vistas, necessitam de aplausos, agem em função de lábios lisonjeiros, querem derrubar quem está na liderança para assumir seu lugar... Não querem adorar, querem ser adoradas. Não usam seus dons, talentos, para se portar como servos sociais, mas o utilizam para conseguir glória para si mesmas.
"Já foi derrubada na sepultura a tua soberba com o som das tuas violas; os vermes debaixo de ti se estenderão, e os bichos te cobrirão. Como caíste desde o céu, ó Lúcifer, filho da alva! Como foste cortado por terra, tu que debilitavas as nações! E tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu, acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono, e no monte da congregação me assentarei, aos lados do norte. Subirei sobre as alturas das nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo. E contudo levado serás ao inferno, ao mais profundo do abismo." (Isaías 14:11-15)
Uma vez que abrigamos a soberba, ela faz com que nos vejamos maiores do que somos, tira o melhor de nossa humanidade, nos faz viver em função de reconhecimentos humanos, faz com que nos achemos divindades inquestionáveis, acima de críticas, acima da necessidade de que alguém nos ajude; Afinal, aceitar ajuda é se colocar em uma posição inferior, é ter humildade para reconhecer que alguém tem algo a nos acrescentar e para o soberbo isso não é admissível.
A soberba impede que tenhamos um coração grato a Deus e ao nosso próximo. Alguém cujo coração foi tomado pela soberba estará sempre se comparando com o outro e tentando provar que é melhor, mais santo, mais bom, mais merecedor das bênçãos, mais inteligente, mais belo. Além disso, a soberba faz com que achemos que temos menos do que merecemos, uma vez que nos vemos maiores do que somos.
A soberba traz consigo a inveja, pois alguém soberbo não admite que o outro seja melhor do que ele em algo. Muitas pessoas confundem inveja com cobiça. Para esclarecer: cobiçar é querer ter o que o outro tem ou ser como o outro é. Diferentemente, a inveja é querer que o outro perca o que tem ou deixe de ser quem é.
A soberba, como disse, inviabiliza a gratidão, uma vez que para se ter um coração grato a alguém é necessário ter a humildade de reconhecer que o outro nos fez bem, que o outro é digno de nosso respeito e admiração e isso não é algo que alguém soberbo consiga fazer com o coração sincero. Vemos que o próprio Cristo provou da ingratidão, quando curou os dez leprosos e somente um deles voltou para agradecer (Lucas 17: 11-19). Abrindo um parênteses, A lepra era uma doença terrível que condenava seu portador ao completo exílio. Um leproso não poderia ver novamente sua família, estar com seus amigos, seu convívio social seria apenas com outros leprosos. Jesus, ao dar-lhes a cura, devolve mais do que a saúde, ele restaura a capacidade deles sonharem novamente, de reconstruírem suas vidas, de serem tratados com dignidade, de terem suas vidas de volta e, no entanto...Apesar de tamanha benção, somente um leproso voltou para agradecer, mostrando que apenas dez por cento tem a humildade de reconhecer que o outro foi maior do que ele, foi digno do seu respeito, de sua admiração, de sua gratidão. E, assim como Jesus, devemos fazer o bem sem a expectativa de recebermos a gratidão das pessoas, por mais difícil que isso seja. Sabemos que cada boa semente que plantamos na vida, nosso Pai celestial nos dará a colheita, no devido tempo, mesmo que o terreno do coração que semeamos seja inóspito. Até porque a colheita pode não vir por aquela pessoa que investimos, mas o bem que semeamos, a vida devolve por outra. 
Nos dias atuais, a história dos dez leprosos continua a se repetir; muitos se relacionam com Deus como se Ele fosse o "Mágico de Oz do País das Maravilhas". Buscam a Deus para que Ele satisfaça os seus desejos, realize suas vontades, como se Ele fosse seu servo, seu mágico particular. E, tal como um mágico, na cabeça de tais pessoas, as bênçãos sairão da "cartola" sem que tenham que batalhar por elas. As orações são só uma lista de pedidos, nunca de agradecimentos. E na relação com o próximo não é diferente, vemos o quanto a gentileza cede lugar à grosseria, as pessoas desaprenderam a agradecer, a ofertar um sorriso, um pequeno gesto de gratidão diante da benesse que lhe foi dada pelo outro, agem como se os demais tivessem a obrigação de lhes fazer o bem.
A humildade é o caminho inverso. Para cultivá-la em nossos corações, como já disse, temos que aprender a olhar para o outro com respeito. O fato de termos uma personalidade solidária, de sermos talentosos, de termos bens materiais, um bom nível escolar, nada disso faz com que sejamos mais importantes do que os demais; Nada disso nos dá o direito de pisar nos outros, desmerecer o que são e o esforço que tiveram para conseguir o que possuem.
Podemos até ter mais luz, mais facilidade de nos sairmos bem em algumas áreas de nossas vidas, mas sempre teremos trevas em outras, sempre haverá alguma parte em nós que será completada pela ajuda de outra pessoa. Encontramos a humildade, quando entendemos que carecemos uns dos outros. Cada um de nós foi feito com um propósito diferente e, por isso, temos habilidades diferenciadas, mas isso não nos torna mais especiais, apenas, diferentes.
Em outro capítulo do livro, usei a metáfora do universo como uma grande máquina, onde cada peça, posicionada no lugar certo, ajuda a outra a funcionar melhor e juntas fazem toda a engrenagem sair do lugar. Por mais raras e caras que algumas peças sejam elas só cumprem seu propósito, por conta das outras que a apoiam, mesmo sem elas saberem. Se todos fossemos iguais, nada aconteceria, nenhuma transferência de vida, porque é no saber divergir em ideias, de forma respeitosa, que o crescimento é gerado. Para ficar, ainda mais claro, vou ilustrar da seguinte maneira: Em nossas vidas, por vezes, temos a "perna esquerda" e nosso irmão tem "a perna direita", assim só conseguimos andar, quando nos unimos em um abraço, um sustenta o outro em sua debilidade, e juntos nos tornamos mais eficientes, mais fortes. 
A humildade nos faz querer aprender sempre mais, nos faz ter curiosidade de saber o que o outro pensa, considerar opiniões diferentes, analisar visões diferentes de mundo. Nos faz ter o respeito de não querer impor ao outro a maneira que pensamos, podemos compartilhar a nossa visão, mas sem querer transformar o outro em nós mesmos, porque a humildade valoriza as diferenças e consegue extrair delas um aprendizado. Quando somos humildes enxergamos que até os nossos inimigos tem algo a nos ensinar e somos gratos por eles, tal como disse Khalil Gibran: "Aprendi o silêncio com os faladores, a tolerância com os intolerantes, a bondade com os maldosos; e, por estranho que pareça, sou grato a esses professores." 
Quando nosso coração é terra fértil para humildade, não temos problemas em dizer o quanto o outro é importante para nós, aproveitamos as oportunidades que a vida nos dá de valorizar as pessoas que nos fazem bem, sabendo que, talvez, não haja "um amanhã" para isso. Muitos esperam momentos especiais, datas festivas, para dizer as palavras: "eu te amo", e perdem seus entes queridos antes que possam dize-las. Não economize palavras doces, seja portador de palavras que despertem o melhor em cada pessoa, porque o mundo já destila muita amargura.
Atitudes simples revelam um coração humilde, tais como: agradecer a cada pessoa que agrega riqueza a sua vida, que torna o seu dia mais belo, que torna a sua vida mais leve e feliz; mesmo que seja por um telefonema, uma lembrança, um obrigada pelo WhatsApp, não deixe de fazê-lo. 
 Tenha a humildade de identificar e incentivar a bondade que você consegue enxergar no seu próximo, ajude os demais a desenvolverem seus potenciais. Para brilhar não precisamos apagar a luz do outro, pelo contrário, se somarmos as nossas luzes, juntos iluminaremos mais forte!
A humildade não rotula as pessoas, não julga conforme a aparência, não descrimina por conta da cor da pele, do aspecto físico, da conta bancária, do nível escolar. Quem é humilde consegue aprender a encontrar verdadeiras pérolas que muitos encararam como lixo. Não foi assim com Jesus? Escolheu como discípulo pessoas que muitos nem andariam junto. Ele estendeu às mãos para prostituta e a fez se sentir digna novamente. Ele viu em um homem como Zaqueu, que todos julgavam como um corrupto, um coração quebrantado, disposto ao arrependimento. Ele conseguiu ver valor nos rejeitados e os incluiu em seu Reino de Amor.
Não gosto de compartilhar minhas experiências pessoais em meus textos, mas, quando pertinente, abro uma exceção. Conheci uma jovem, seu nome era Giovana, ela era faxineira na repartição pública onde eu trabalhava. Sempre tive o costume de cumprimentar as pessoas, independente da função que exerçam, tratando a todos com a mesma dignidade. E digo que se eu não tivesse essa postura, se tratasse as pessoas de acordo com sua posição social, teria perdido a oportunidade de conhecer pessoas especiais, tal como ela. Ela se tornou uma grande amiga naquele lugar, era alguém em quem eu podia confiar. Aprendi muito com ela, a sua amizade enriqueceu-me mais do que poderia compartilhar em palavras. Um dia perguntei a Giovana qual era o seu sonho, pensei que ela diria: comprar uma casa, voltar para Minas Gerais (cidade onde nasceu)...Mas ela me disse: Meu sonho é ser um ser humano melhor a cada dia. Acho que ela procurou atingir esse objetivo. Ela me disse que como não tinha dinheiro para comprar presentes para as pessoas que estavam nos hospitais, então ela se voluntariava para limpar, gratuitamente, esses locais. Ela não possuía recursos financeiros, mas dava de sua maior riqueza, dava de si mesma em favor dos outros. Infelizmente, ela veio a falecer, mas louvo a Deus por tê-la conhecido, e por ter tido o prazer de sua amizade. Já dizia a autora Cora Coralina: "O saber a gente aprende com os mestres e os livros. A sabedoria se aprende é com a vida e com os humildes."  
Gostaria de deixar claro que não estou atrelando a humildade ou a sabedoria a baixa condição econômica, pelo contrário, já conheci pessoas pobres que eram orgulhosas e ricas que eram humildes. Apenas, penso que o caminho da humildade nos leva a não julgar as pessoas de acordo com a aparência, posição que ocupe, ou títulos que carregue. Da mesma forma que citei a minha saudosa amiga Giovana, existem muitas pessoas consideradas invisíveis socialmente que são ricas de sabedoria e não podemos desperdiçar a oportunidade de aprender com elas.
Deus não nos pede para que sejamos perfeitos, Ele sabe que não conseguiremos, que por mais que nos esforcemos, acabaremos falhando em nossa caminhada. O que Ele nos chama é para termos a humildade de reconhecer os nossos erros e aprender com eles, sem transferir a culpa para terceiros. O que Ele espera de nós é que olhemos para o nosso próximo com o olhar de Cristo, considerando que cada pessoa é mais importante do que o somatório dos erros e acertos que cometeu ao longo da vida. Ele deseja que tenhamos a humildade de olhar para a dor do outro com respeito, dessa forma, não nos consideremos os mais "sofredores do mundo".
Se aceitarmos o convite de percorrer o caminho da humildade, então conseguiremos seguir os passos do nosso Senhor Jesus. Nosso Mestre renunciou a glória que tinha nos céus, para se fazer homem, para servir aos que necessitavam Dele, porque para Ele o mais importante era nos ter, um dia, na glória com Ele. Seguindo o exemplo Dele, que possamos considerar nossa meta de amar ao próximo mais importante do que as "glórias" que o mundo tem a oferecer. Que possamos viver uma vida de humildade que alegre o coração de Deus e exalte o Seu nome.

Autora: Deyse LSPatoleia (Esse é o 35 capítulo do meu livro "convites de Deus para você.")